Últimas

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Ateu defende cristãos, em comparação com islamismo, e indica que o cristianismo não é radical.

O apresentador Bill Maher aponta que os cristãos são mais tolerantes

Famoso nos EUA, por abordagens polêmicas sobre religião, o apresentador ateu Bill Maher surpreendeu ao defender o cristianismo, durante debate em que a doutrina cristã foi comparada ao islamismo. O debate foi realizado em um programa do PBS, canal público norte-americano.
Quando o entrevistador Charlie Rose fez menção de que o comportamento cristão se assemelha ao dos muçulmanos, Maher o repreendeu e ressaltou que a grande diferença é que o Islã infelizmente deixa brechas para radicalistas.

Leia também: CRISTÃOS CRIAM AS PRÓPRIAS MILÍCIAS CONTRA OS JIHADISTAS.

O apresentador do programa Real Time, da HBO, defendeu os cristãos, destacando que a maior parte dos fiéis não acreditam ou não aceitam violência, ou sequer tratam as mulheres como cidadãos de segunda classe, condição que ele rejeita entre os muçulmanos.
Na sequência, Charlie Rose interrompeu Maher para apontar então se ele pensa que todos os islâmicos então têm uma certa tendência ou desvio de caráter para sucumbir ao terrorismo. "Por trás de cada muçulmano há um futuro membro de alguma seita radical?", indagou Rose.

Maher então respondeu que os cristãos têm a vantagem de acatar pacificamente quando alguém abandona o cristianismo. "Um grande número de cristãos não acreditam que se você deixar a religião cristã, você deve ser morto por isso", observou o apresentador, autoproclamado como ateu.

Leia também: PROJETO DE LEI PREVÊ DESCONTO EM FOLHA DE DÍZIMOS E OFERTAS E ABATIMENTO DOS VALORES DO IMPOSTO DE RENDA.

Em outros comentários, Maher criticou veementemente o comportamento muçulmano, ao sugerir que seus atos são marcos por uma indevida intransigência, que acaba resultando em uma doutrina tida para ele como intolerante.
"Um vasto número de cristãos não acredita que uma charge com Jesus Cristo é motivo para morte declarada. Então, sim, o [grupo] Estado Islâmico (ISIS) deseja agir como o Khmer Vermelho (política de genocídio implementada no Camboja na década de 70)", resume o apresentador.

Para concluir, Maher critica o Alcorão, livro sagrado dos muçulmanos, por exibir um conteúdo desagradável sobre a forma de lidar com quem deixa o islamismo. "Há coisas horríveis sobre como os infiéis devem ser tratados.

Embora tenha defendido o cristianismo desta vez, Maher também já fez duras críticas ao cristianismo, como quando questionou que Jesus veio ao mundo para corrigir o que Deus fez de errado, ou quando chamou Deus de "psicopata", em uma crítica à história de Noé.

Fonte: The Christian Post

Leia também: AVANÇO JIHADISTA PROVOCA ÊXODO DE CRISTÃOS NO NORTE DO IRAQUE.

Deixe seu comentário!
Edu Alves.
Viva uma vida de renúncia!

Postar um comentário

Gostou deste artigo!
Então deixe um comentário.

 
Copyright © 2014 Vida de Renúncia. Designed by OddThemes