Últimas

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Como lidar com a ansiedade infantil?

Você consegue identificar se o seu filho é ansioso demais? Os sintomas são muitos e cabe aos pais compreender como devem lidar com as diversas situações acarretadas por este sentimento. A ansiedade infantil está crescendo tanto, que o número de crianças acometidas pelo problema aumentou 60% na última década. Esses dados são do Centro de Atendimento e Pesquisa de Psiquiatria da Infância e da Adolescência (Capia), da Santa Casa do Rio de Janeiro.
Para que você entenda melhor sobre o assunto e saiba identificar se o seu filho é uma criança ansiosa demais, o neuropediatra Saul Cypel, da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, de São Paulo, responde a algumas perguntas.

1 – Uma mãe que sofre de ansiedade tem grandes chances de gerar um filho com esse problema?
Não necessariamente. A ansiedade pode ser desenvolvida por ele a partir das atitudes da mãe em relação ao filho, do ambiente em que ele está inserido.

2 – A ansiedade só traz malefícios para as crianças?
A ansiedade em níveis adequados é saudável e mobiliza o indivíduo nas suas atividades diárias. Torna-se exagerada quando a criança, desde os seus primeiros anos de vida, não foi incentivada a seguir regras, a atender aos limites do que pode ou não, a entender que nem todos os seus desejos podem ser satisfeitos, mostrando-se, deste modo, incapacitada para lidar com as frustrações.

3 – Quais os sintomas e dificuldades que a criança enfrenta com a ansiedade?
As expressões de ansiedade na criança ocorrem de modo diferente nas várias idades. Nos bebês e lactentes podemos observar choro frequente, dificuldades alimentares e no sono. Já na criança maior, de 2 a 3 anos, verificamos inquietude, solicitação frequente do adulto, irritabilidade, dificuldades alimentares e não atendimento a regras com episódios de birra. Já nas de 5 a 6 anos, verificamos curta atenção com permanência limitada e troca constante de atividades, inquietude, não respeito à privacidade do outro, insatisfação e insegurança. Nos escolares, acima de 7 anos, observam-se dificuldades na atenção, principalmente para tarefas de rotina e escolares, inquietude, rapidez exagerada e displicência em suas atividades, dificuldades na socialização, e outras situações.

4 – Como os pais devem lidar com a ansiedade dos filhos?
Os pais são figuras fundamentais para a criança, pois são eles que vão moldar o seu desenvolvimento. É importante que se informem, seja por meio de profissionais e mesmo de leituras especializadas, de como se dá este desenvolvimento, e que função desempenham neste processo. A adequação das suas atitudes, o acolhimento das necessidades, a convivência com a insegurança e o prazer, o manejo com os desejos e a frustração são situações com as quais estarão lidando diariamente e, com certeza, estarão oferecendo aos seus filhos a oportunidade deste aprendizado, que, no futuro, lhes deixará em condições de conviver e lidar com as situações de maior complexidade.

5 – Como deve ser o ambiente ideal para que a criança não corra o risco de ser acometida pela ansiedade excessiva?

O ambiente familiar seguro, no qual os pais se respeitam e lidam de modo adequado com os problemas naturais da vida, será mais acolhedor para as dificuldades da criança, mostrando e ensinando a ela como lidar com as adversidades que possam estar ocorrendo. Isso irá atenuar e permitir que ela trabalhe melhor a ansiedade.
Por Jaqueline Corrêa

Queridos, não podemos esquecer que um ambiente familiar cristão, baseado na palavra de Deus onde os pais buscam ensinar seus filhos de acordo com os ensinamentos bíblicos é o melhor lugar para se criar seus filhos, por isso nossos filhos refletem aquilo que nos somos, se somos bons pais, teremos bons filhos, se somos maus pais, teremos maus filhos, se criarmos nossos filhos na presença de Deus, com perseverança e e insistência, teremos homens e mulheres de Deus.

Dixe seu comentário!

Edu Alves.
Viva uma vida de renúncia!

Um comentário :

  1. É de suma importância este artigo, principalmente para pais que trabalham direto e nunca tem um tempinho para os filhos. Gostei muito. Deus abençoe Vida de Renuncia!!!

    ResponderExcluir

Gostou deste artigo!
Então deixe um comentário.

 
Copyright © 2014 Vida de Renúncia. Designed by OddThemes